terça-feira, 12 de novembro de 2013

Associação de Boqueirão mostra caminhos para a literatura

Vencendo todas as adversidades, a Abes consegue reunir a população em torno do tema e está ajudando na formação de novos leitores para novos escritores | Texto e fotos: Val da Costa
Uma associação de escritores no Interior da Paraíba está fazendo a diferença para viabilizar eventos culturais. É a Associação Boqueirãoense de Escritores (Abes), que tem sede na cidade de Boqueirão, no Cariri. Há cinco anos, a ideia se transformou em realidade com o objetivo de trabalhar na formação do leitor. Atualmente, a Abes tem dez membros e realiza em média 10 atividades anuais, incluindo o evento de maior sucesso, a Feira Literária de Boqueirão (Flibo).

Uma dos membros da Abes, Magna Vanuza Araújo, participou recentemente do projeto Calçada da Leitura, da Escola Municipal do Distrito do Marinho. “Para nossa alegria, logo que chegamos, recebemos a visita na Associação de um grupo de professores e alunos da cidade de Pedras de Fogo. Para encerrar com chave de ouro este encontro, entregamos os troféus das Escolas que participaram do projeto ‘Minha Escola na Flibo’, realizado este ano”, disse.

Escritoras da Abes - 2013
O que a Abes está fazendo é seguindo passos que foram planejados em busca de resultados, sempre voltados à formação de um público leitor. Fundada em 2009 pelas escritoras Mirtes Waleska Sulpino e Jane Luiz Gomes, a Abes convidou outros escritores boqueirãoenses, como Aparecida Farias, Magna e Malcy Negreiros, além de outras pessoas que não são escritores para participar da associação.

A ideia de montar a Abes surgiu durante um trabalho realizado por Mirtes e Jane no Balaio Cultural de 2008, evento que aborda todas as linguagens artísticas. As duas criaram um movimento literário, o Parede Poética, que foi bem aceito pela população. “Daí em diante sempre nos reuníamos para falar de poesia e outros se juntaram a gente”, relembra Mirtes.

Ideal - O principal objetivo da ABES é trabalhar na formação do leitor, por isso há diversas atividades durante todo o ano. No ano da fundação foi criado um concurso de poesia, “Boqueirão, minha cidade”, em que se descobrem novos talentos. Alguns vencedores desse concurso se associaram à Abes e hoje são membros efetivos. Em 2010 houve a primeira edição da Flibo, com apoio da Secretaria de Cultura e prefeitura municipal.

Atualmente existem dez membros escritores que contribuem mensalmente, pagando uma taxa simbólica. Durante todo o ano a Abes recebe estudantes. Os poetas fazem visitas às escolas para falar sobre poesia. “Realizamos saraus e ainda contações de histórias em praça pública”, lembrou Mirtes.

Brincadeira contação de histórias ao pé do ouvido,
uma das mais procuradas na Flibo 2013
Flibo - Há quatro anos, a Abes vem realizando a Flibo. Segundo a presidente da Associação, está aumentando a participação da população no evento. “Nas primeiras edições, a Feira Literária era realizada em março, o que dificultava a participação das escolas nas ações da feira. Nesta quarta edição transferimos a data para o segundo semestre, em outubro, e conseguimos que houvesse um envolvimento maior das escolas”, disse.

O envolvimento da Secretaria de Educação municipal também ajudou no Projeto “Minha Escola na Flibo”, onde cada escola foi convidada a trazer uma atividade para apresentar na Feira. “Foi possível desenvolver as atividades. Durante o ano, as escolas trabalharam o autor homenageado. Lançamos o tema da feira e o autor homenageado em maio”, relembrou.

Para 2014, a Abes completará cinco anos e há um projeto para lançar a 2ª Antologia Poética da Associação, reunindo todos os poetas associados. De tão reconhecida pela cidade, a Associação teve uma homenagem da prefeitura. Foi instituído em 28 de fevereiro, data de fundação da Abes, o Dia Municipal do Livro e da Leitura em Boqueirão.


“Gostaríamos de ter uma participação maior e efetiva da comunidade de Boqueirão nos debates em torno das políticas públicas do livro e da leitura, em 2014, durante a Flibo. Queremos também uma participação maior dos professores”, disse.

Que esta pequena multidão se multiplique, vire exército e transborde para todas as cidades 

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Treze escolas do Cariri paraibano visitam a 4ª Flibo

Crianças de 13 escolas visitarão a 4ª Flibo | Texto e fotos: Valdívia Costa

A movimentação na Praça da Associação Boqueirãoense de Escritores (Abes) começou cedo desde a quarta-feira (23), na cidade de Boqueirão, no Cariri paraibano. Cerca de 400 crianças passaram pelos cantinhos de leitura da praça, vindas das 13 escolas convidadas. Todos leram, interagiram e assistiram as atividades artísticas da 4ª Feira Literária de Boqueirão (FLIBO).

Nesta sexta-feira (25), houve visita de duas escolas municipais, a João Agripino Filho, de Boqueirão, e a Escola de Ensino Básico Josefa Lídia da Silva, da cidade de Riacho de Santo Antônio, no Cariri. Cada uma trouxe, em média, 60 crianças para participarem de mini palestras e outras atividades da praça.



A professora Fabiana de Sousa, de Boqueirão, disse que recebeu o convite com muita alegria. Já a coordenadora da escola de Riacho de Santo Antônio, a professora Sandra Maria de Araújo, se inspirou com a iniciativa e está pensando em realizar alguma feira literária na escola de onde veio.


“É o 1º ano que visitamos a Feira, mas já gostamos de cara de tudo o que foi feito pensando nas nossas crianças. O teatro e dança podem chamar a atenção dos alunos para a leitura. É muito interessante uma feira desse tipo para a criança não perder esse elo com o livro”, disse.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Abertura com música filarmônica e cortejo

Cerca de 500 crianças e adolescentes participaram do cortejo de abertura da 4ª Flibo | Texto e fotos: Valdívia Costa

A animação da banda filarmônica Nossa Senhora do Desterro contagiou cerca de 300 pessoas que estiveram na abertura oficial da 4ª Feira Literária de Boqueirão (FLIBO), nesta quarta-feira (23). O evento acontece até o próximo sábado (26) na cidade de Boqueirão, no Cariri paraibano. Mais de 500 inscrições foram feitas para oito minicursos, 12 oficinas, além das palestras, mesas-redondas e outras atividades que somam quase 50 atrações.

A mesa de abertura contou com o gerente operacional de Literatura do governo do Estado, o professor José Otávio Arruda de Melo, o presidente da Funesc, Lau Siqueira, o prefeito da cidade, João Paulo Segundo e a coordenadora do evento, Mirtes Waleska Sulpino, entre outras autoridades.

“Romper fronteiras e levar a poesia para todos os espaços, talvez tenha sido uma das primeiras vontades por trás da criação da Flibo. Foi algo que chamou a atenção para um grupo de escritores em formação, saídos do interior do interior da Paraíba, que é o Cariri. Foi um grande desafio, mas, talvez, este tenha sido o combustível que nos motivou”, declarou Mirtes.

Durante os quatro dias de atividades, os boqueirãoenses poderão saber o valor da leitura, o valor de um livro na vida de uma criança, segundo os participantes. Todos desejaram mais tempo de vida e crescimento à Flibo. Nesta quinta-feira (24), as atividades começam a partir das 9h e encerram à meia noite.


Alunos das redes públicas e privadas de Boqueirão
participaram de um cortejo na abertura da 4ª Flibo


Moradores da cidade se revezam para ler os livros pendurados 
nas árvores, chamadas de pés de livros

Começa 4ª Flibo com música e conferência literária

É assim que fica a praça de Boqueirão-PB quando o assunto é literatura 

Texto: Valdívia Costa | Foto: divulgação

Chegou o dia de iniciar as atividades artísticas e culturais na cidade de Boqueirão, no Cariri paraibano. É o início da Feira Literária de Boqueirão (Flibo), hoje (23), que terá como destaque o Concerto para Vinícius, o Poetinha. O show será com a Filarmônica Nossa Senhora do Desterro, na Praça da ABES, centro da cidade, a partir das 20h40.

No mesmo local será a abertura oficial do evento, às 19h. Logo em seguida haverá a Conferência de Abertura “A minha fala dos bichos”, com o escritor Sérgio de Castro Pinto. Apesar de começar à noite, a feira terá atividades a partir das 15h, com a Marcha pela literatura. A saída será em frente ao Clube Municipal, em direção a Praça da ABES.

“Haverá um desfile nas principais ruas da cidade com as Bandas Marciais. Às 16h teremos uma intervenção cultural com grupos de teatro, tudo preparado com muito carinho para as crianças, nosso leitores prestigiados este ano”, comentou a coordenadora do evento, Mirtes Waleska Sulpino.

Programação 4ª Flibo
1º dia - quarta-feira (23)
2º dia - quinta-feira (24) 
3º dia - sexta-feira (25) 
4º dia - sábado (26)


terça-feira, 22 de outubro de 2013

Criança tem que ver Brincantes sem fronteiras

Brincantes fazem oficinas de pernas de pau, palhaços e malabares | Texto:Ascom/Valdívia Costa | Foto: divulgação 

Uma atração que é feita pra criançada. A família Los Iranzi, Vaval do Babal, o Urso Amigo Batucada e o Palhaço Coceirinha se juntam como os Brincantes sem Fronteiras. Este ano, o grupo realiza a Caravana Cultural pelo interior da Paraíba e estará na 4ª Flibo. O grupo quer levar a arte circense, brincadeiras tradicionais, leitura, entre outros, onde houver crianças. 

Na sexta (25), eles fazem oficinas de pernas de pau, palhaços e malabares, na Praça da Abes. Como resultado da oficina haverá uma apresentação de espetáculo de circo. Já no sábado (30), eles fazem o teatro de bonecos, no Pátio da Feira, a partir das 10h. Ao final, um cortejo pelas ruas de Boqueirão com uma batucada.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Xilogravura em exposição na Flibo

Xilogravurista Josafá de Orós | Texto: Ascom/Valdívia Costa | Foto: Divulgação 


João Pedro Teixeira foi um dos mártires dos conflitos agrários no Nordeste. Félix Araújo foi soldado raso nos campos da Itália e instigava a vigilância da democracia ameaçada. Celso Furtado foi um dos economistas brasileiros mais conceituados do mundo. Essas e outras personalidades "esquecidas" pelos paraibanos estão no projeto “Paraíba Grandes Nomes: A Xilogravura e o Cordel Apresentando Importantes Personalidades do Estado”, que será uma das atrações da 4ª Feira Literária de Boqueirão (FLIBO), de 23 a 26 deste mês. 

O projeto é apresentado pelos artistas Josafá de Orós e Manoel Monteiro. Passou pelos municípios de Aparecida, São Bento, Sousa e Cajazeiras, no Sertão; Gurinhém e Sapé, próximo ao Litoral; e Areia, no Brejo, com visitação de centenas de espectadores. A exposição itinerante tem 35 painéis que apresentam as personalidades através da xilogravura e de versos em formato de cordel.

“As nossas escolas – que muitas vezes levam os nomes dessas personalidades - precisam conhecer os seus heróis de carne e osso. Na pretensão de preencher tal lacuna, escrevemos plaquetes, muitas vezes já em forma de cordel, ressaltando alguns traços desses personagens", explicou Josafá. 

Há ainda o intuito de que se desenvolva "robusto programa memorialístico estadual evidenciando as grandes presenças paraibanas através das suas pontuações originais, dos seus extraordinários feitos e de suas presenças graciosas e pitorescas”. O Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet, e o BNB são apoiadores do projeto. Em cada cidade, ele teve o apoio das prefeituras para ser montado.  

Programação 4ª Flibo

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Flibo Criança é pura diversão!



Outubro, mês da criança, mês do "Dia Nacional da Leitura", mês do professor, Centenário de Vinícius de Moraes, e mês da 4ª edição da FLIBO. Tanta coisa boa pra comemorar. Então, por que não juntar tudo num só lugar, numa só festa?! Criança, Leitura e Vinícius! E levar tudo para a praça!?

Essa é a proposta da Flibo Criança, trazer a literatura para ocupar todos os espaços. Contação de histórias, poesia ao pé-do-ouvido, teatro de bonecos, poesia na arca, tudo isso fará parte do cenário da Flibo Criança, que além destas atividades, ainda terá a participação das escolas do município em apresentações culturais, na quinta e sexta-feira, nos horários da manhã e tarde; esta ação faz parte do projeto MINHA ESCOLA NA FLIBO e é apoiada pela Secretaria Municipal de Educação.

A Flibo é pura diversão! Participe.

Roteiro de Leitura Pública, do Instituto Ecofuturo, será distribuído durante a Flibo


"Roteiro de Leitura Pública", do Instituto Ecofuturo, com patrocínio da editora FTD, será distribuído durante a quarta FLIBO. Com orientações para uma boa roda de leitura, a publicação surgiu em comemoração ao Dia Nacional da Leitura (12/10).
Leitores públicos, menestréis e trovadores ou... mascates, como quiserem: juntem sua voz aos caminhos, para que os livros e as ideias circulem sempre. No reino vegetal, a or não dá um jeito de conseguir que suas sementes viajem em busca de novos espaços?
Será que a palavra também tem essa necessidade de se dispersar, ganhar distância da boca que a pronunciou, para reproduzir longe seu conteúdo?
Marc Roger, leitor público francês, criador da leitura do rosto escondido, em seu livro À pied et à voix haute (A pé e em voz alta), HB Éditions, França.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Professor José Edilson de Amorim, Reitor da UFCG em palestra na quarta edição da FLIBO



Palestra com o Reitor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), José Edilson de Amorim no dia 24/10 às 19h, na Tenda da Praça da ABES.

A VÍTIMA GERAL: FELIX ARAÚJO E A FICÇÃO, sobre o romance “A vítima geral”, escrito pelo paraibano Virgínius da Gama e Melo, publicado pela Editora José Olympio em 1975, dramatizando os fatos imediatamente anteriores ao assassinato do poeta e vereador campinense Félix Araújo, em 1953.


MPB e muita poesia embalam as noites da quarta edição da FLIBO



A quarta edição da FLIBO reserva este ano uma vasta programação noturna, incluindo palestras, lançamentos literários, sarau poético, MPB na Praça; portanto música e poesia não faltarão para brindar o centenário do Poeta da Paixão, Vinícius de Moraes, o homenageado desta edição da Feira Literária de Boqueirão.

No primeiro dia de feira literária, 23/10, Tributo a Vinícius de Moraes na voz de Kaline Bertino, previsto para começar às 21h10; após a apresentação, o DJ Sizak anima a galera na "Balada Literária", novidade da FLIBO, este ano. Na quinta-feira, 24/10, é a vez da cantora Aline Canêjo se apresentar; e, na sexta-feira, dia 25/10, às 21h, Sarau Poético "Amores de Vinícius" com o grupo Frente Trovadora de Alagoa Grande (PB), Poebrás e convidados, em seguida, às 22h Show da Banda Saramágua e pra encerrar a noite, a cantora Renata Arruda sobe ao palco e nos brinda com muita música e poesia.


terça-feira, 15 de outubro de 2013

Prepare-se, falta pouco para começar a quarta edição da Feira Literária de Boqueirão



A FLIBO (FEIRA LITERÁRIA DE BOQUEIRÃO), única no formato na Paraíba, reunirá em sua quarta edição importantes e consagrados escritores paraibanos. O tema central da feira é a "Importância da Literatura na Infância" e o homenageado deste ano é o poetinha Vinícius de Moraes, que se vivo estivesse, faria em 19 de outubro, 100 anos.

De 23 a 26 de outubro, os participantes da FLIBO terão a oportunidade de debater e propor melhorias para as políticas públicas do livro e da leitura. Palestras, oficinas, mini-cursos, bate-papo com escritores, contações de histórias, lançamentos literários, comporão todo o cenário dos quatro dias de feira que, há quatro anos vem aquecendo a economia local.

Este ano, visando uma participação maior das escolas, a ABES (Associação Boqueirãoense de Escritores) transferiu para o segundo semestre a realização da feira; desta forma, as escolas municipais poderão apresentar seus projetos na "Minha Escola na FLIBO", além de os alunos participarem das diversas atividades que acontecem durante a feira.


Na Flibo Criança, muita contação de história, "poesia ao pé-do-ouvido", "pés de livros", teatro de bonecos, brincadeiras e muita, muita literatura...

E tudo começa dia 23, à partir das 15h com a "Marcha pela Literatura" invadindo as principais ruas da cidade convidando todos para juntos embarcarmos no mundo da literatura. A concentração será na frente do Clube Municipal e segue com os alunos acompanhados pelas Bandas Marciais em direção a Praça da ABES. À noite, às 19h, acontece na Tenda da Praça da ABES, a Solenidade de Abertura e em seguida a Conferência do Poeta Sérgio de Castro Pinto, falando da relação entre a criança e o poeta na literatura infanto-Juvenil. Para encerrar a noite, apresentação da Filarmônica Nossa Sra do Desterro e Tributo a Vinícius de Moraes na voz de Kaline Bertino.

A Flibo é realizada pela ABES, e tem como principais parceiros, a Prefeitura Municipal de Boqueirão, a Secretaria Municipal de Educação, a FUNESC e a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO!

   


segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Minha Escola na FLIBO



Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, a ABES traz para a quarta edição da FLIBO, a ação MINHA ESCOLA NA FLIBO. O objetivo é inserir os alunos do município de Boqueirão na programação da feira literária através de projetos desenvolvidos por cada escola durante todo o ano, tendo a FLIBO como palco principal para a apresentação destes projetos. Este ano participarão do MINHA ESCOLA NA FLIBO, 12 escolas da rede de ensino do município, cada escola fará uma apresentação de até 30 minutos. As apresentações acontecem pela manhã e tarde nos dias 24 e 25/10 na Tenda da Praça da ABES. No horário da manhã as apresentações começam às 9h e no horário da tarde, às 14h.

Esse projeto faz parte da ação desenvolvida pela ABES, "Boqueirão Cidade Leitora. Nós queremos. Nós podemos!".




Lançamentos Literários trazem todo o universo da cultura popular para a quarta edição da FLIBO


Dia 25/10, sexta-feira, 19h, Lançamento Literário da “Antologia Ilustrada dos Cantadores" de autoria do poeta popular Otacílio Batista e Francisco Linhares, com apresentação de Fernando Patriota e Zé Clementino: o "matuto" que devolveu o trono ao Rei, de Jurani Clementino | Local: Tenda Praça da ABES

A Obra: Zé Clementino: o "matuto" que devolveu o trono ao Rei

Muito se fala sobre os intérpretes da Música Popular Brasileira (MPB). Filmes, documentários, livros e pesquisas acadêmicas apresentam essas figuras mitológicas, quase sempre como heróis solitários. Aos compositores, parceiros desses artistas consagrados, é reservado o lugar do ostracismo, do anonimato e do esquecimento. “A ideia de produzir esse livro se deu pela necessidade de fazer justiça a um, dos vários compositores de Luiz Gonzaga. Apresentamos aqui um Zé Clementino que é resultado das várias impressões, diversos olhares e pontos de vista.

O autor: Jurani O. Clementino

Jurani O. Clementino é jornalista, especialista em Comunicação e Educação, mestre em Desenvolvimento Regional, professor universitário e cronista. Atualmente, faz doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). 

A Obra: Antologia Ilustrada dos Cantadores

ANTOLOGIA ILUSTRADA DOS CANTADORES, em segunda edição, talvez seja o único ensaio profundo, digno deste epíteto, sobre a poesia popular brasileira, traçado por ensaístas-cantadores. Devassando os fundos registos do tempo, da Antiguidade como da Idade Média e Renascença, Otacílio Batista e Francisco Linhares perscrutam o passado e o projetam no presente, acompanhando, com absoluta precisão e conhecimento de causa, os estágios da poesia oral dos violeiros, emboladores e cantadores através da máquina do tempo, não somente narrando fatos ou invencionices e indigitando datas e pessoas, mas conexando-os às realidades sociais, políticas, econômicas e psicológicas na memória dos diversos ciclos da História. Além disso, esta ANTOLOGIA reúne as mais gaiatas estrofes do cancioneiro de viola do Brasil, um retrato colorido das pessoas e coisas do mato, distantes da escola e dos comportamentos citadinos, que bem pode transportar a maioria dos leitores às suas legítimas origens beradeiras.

Bate-papo divertido com os escritores de literatura infanto-juvenil, André Ricardo Aguiar, Simone Pedersen e Luyse Costa (escritora e Ilustradora)


Luyse Costa, André Ricardo Aguiar e Simone Pedersen

No dia 25/10, sexta-feira às 17h, BATE-PAPO LITERÁRIO com LUYSE COSTA, autora de “Anayde Beiriz: uma biografia em quadrinhos”, SIMONE PEDERSEN, autora de “A Bicicleta Amarela” e ANDRÉ RICARDO AGUIAR, autor de “Chá de Sumiço e outros Poemas” | Local: Tenda da Praça da ABES

Nesse bate-papo, as crianças vão poder conhecer sobre a vida e obra dos escritores, saber sobre os livros que eles escreveram e ainda, como nasce a ideia de escrever um livro infantil. Simone Pederse e André Aguiar lerão trechos dos seus livros e Luyse Costa, falará sobre as ilustrações que ela cria e de onde vem tanta inspiração para criar personagens fantásticos.

O escritor e historiador Bruno Gaudêncio traz para a quarta Flibo, os novos nomes da poesia paraibana



Na sexta-feira, 25/10 às 16h, VOZES DIVERSAS: novos nomes da poesia paraibana, com Bruno Gaudêncio, Historiador e Escritor e Lançamento do livro da Poeta Cyelle Carmem, (Uni)verso| Local: Câmara Municipal

Sobre a Palestra:

Novos Poetas Paraibanos no Século XXI é uma palestra que relata primeiramente a tradição das antologias na Paraíba ao longo do século XX e XXI, para depois expor como o autor vem realizando um projeto sobre a produção poética paraibana contemporânea. Poemas e poetas serão destacados, demostrando o valor da diversidade tanto temático, como estético, na poética destes novos poetas paraibanos.
Sobre Bruno Gaudêncio:
Escritor, Jornalista e Historiador. Nasceu em Campina Grande, Paraíba, em 02 de Dezembro de 1985. Mestrando em História pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Graduado em Jornalismo e História pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Tem publicado poemas, ensaios e contos em algumas das principais revistas de cultura, a exemplo daCordeletras (PB), A Margem (PB), Blecaute (PB), Correio das Artes (PB), Verbo 21 (BA) e Germina Literatura e Artes (SP). Alguns dos seus poemas foram selecionados recentemente para os projetos: O Jovem Escritor da Paraíba(UFCG) e Parede Poética 2009 (SESC-PB). Foi um dos fundadores do Grupo Bossa Usada Cineclube, responsável pelas exibições dos cineclubes Machado Bittencourt e Mário Peixoto em Campina Grande. Atualmente é Editor daRevista Eletrônica de Literatura Blecaute (http://revistablecaute.blogspot.com/)

Palestra com o escritor Jairo Cézar, dia 25/10 às 15h, aborda a LITERATURA INFANTIL NA SALA DE AULA



No dia 25/10, sexta-feira às 15h - LITERATURA INFANTIL NA SALA DE AULA: entre o bicho-papão, o aluno e o direito de ler na Câmara Municipal

Jairo Cézar, autor de "Rapunzel e outros poemas da infância", aborda questões como o que significa ler, preconceitos com relação à literatura infantil, concepção de infância, conceito de literatura infantil, dicas de como escolher livros para crianças e incentivá-los a ler, tipos de leitores, contos de fadas e suas primeiras versões, entre outros aspectos da leitura na infância são debatidos nessa fala. A base teórica utilizada para tal é oriunda do livro LITERATURA INFANTIL: MÚLTIPLAS LINGUAGENS NA FORMAÇÃO DE LEITORES de José Nicola Gregorin.

Sobre Jairo Cézar:
Jairo Cézar Soares de Souza nasceu em João Pessoa, em 21 de março de 1977, porém Radicou-se em Sapé desde os primeiros dias de vida.
Filho de artista plástico, desde cedo teve contato com as artes. Formou-se em Letras na Universidade Federal da Paraíba em 2004 e exerce há mais de dez anos a profissão de professor de Inglês. Esteve à frente do Memorial Augusto dos Anjos na cidade de Sapé durante 4 anos e participa de atividades ligadas à cultura e na coordenação do festival anual de artes que homenageia Augusto dos Anjos.
Livros publicados: Escritos no Ônibus foi vencedor no edital Novos Escritos(ano 2007/2008) realizado pela fundação cultural de João Pessoa, foi um dos vencedores do IV Prêmio Canon de Poesia, concurso Nacional que teve mais de 3 mil poetas inscritos de todo país, e, apenas 50 selecionados. Em 2012, publicou, pela Forma Editorial, Rapunzel e outros poemas da infância. Jairo é ainda membro fundador do CAIXA BAIXA, grupo de jovens escritores paraibanos.

sábado, 12 de outubro de 2013

Dia 24/10 às 20h, Bate-papo com o escritor Rinaldo de Fernandes e o lançamento do seu mais novo livro: "Chico Buarque: O Poeta das Mulheres, dos Desvalidos e dos Perseguidos"


O escritor Rinaldo de Fernandes traz para a FLIBO no dia 24/10 às 20h, o lançamento nacional do livro Chico Buarque: O Poeta das Mulheres, dos Desvalidos e dos Perseguidos (LeYa Brasil). O Bate-papo tem mediação do escritor paraibano, Bruno Gaudêncio e acontece na Tenda da Praça da ABES.

A obra de Chico Buarque é tão rica que as ideias sobre ela parecem não esgotar. Sua música, seu teatro e sua literatura impressionam estudiosos e leigos, surpreendendo a todos com interpretações diferentes das que estamos acostumados.
Em Chico Buarque: o poeta das mulheres, dos desvalidos e dos perseguidos, o leitor encontra novas visões para aspectos supostamente conhecidos da obra do compositor.

Sobre o autor:

Rinaldo de Fernandes é doutor em Letras pela Unicamp, professor de literatura da UFPB e também ensaísta, contista e romancista (foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura em 2009 com "Rita no Pomar"), já tinha lançado em 2004, pela editora Garamond (RJ), a antologia "Chico Buarque do Brasil: textos sobre as canções, o teatro e a ficção de um artista brasileiro", de grande sucesso editorial e hoje referência nos estudos buarqueanos. Entre antologias de ensaios e de contos, esta é a 8ª que ele organiza. Outros lançamentos da coletânea estão previstos, por enquanto, para João Pessoa, Fortaleza, Brasília, Salvador e Campina Grande.

Do Sertão para o Cariri: Lançamentos de "Ruas de Sal e Outros Poemas" e "Jamili e o especialista em milagres"



Na Tenda da Praça da ABES, dia 25/10, sexta-feira às 20h, Lançamento Literário de RUAS DE SAL E OUTROS POEMAS, de Bartolomeu Pereira e JAMILI E O ESPECIALISTA EM MILAGRES de Geraldo Abrantes, com apresentação de Veruza Guedes.

Sobre Ruas de Sal e outros poemas (Release pelo autor):

As ruas de sal pra mim não possuem um porque poético. A maioria dos poemas foram trabalhados, talhados na necessidade de resignificar a minha relação com a cidade. Era preciso vencer os moinhos de Sal, ser Don Quixote, era uma busca sagrada. O que antes era traste, parafernália adormecida, esquecimento, reclamou a mim a afirmação de ser, tudo queria seu pedestal enfeitado com mosaicos e a poesia gritava das ruas. Nesse livro eu vos convido a um caminhar descalço, penetrante, em labirintos escorregadios, a dialogar com meus fantasmas, a furar os pés nos xique-xiques, a avaliar o estrago da fábrica, a passear com gestos, coração e fúria, por essas vias que hora são veredas encantadas com pássaros mágicos, ora são asfaltos sem sombra ou descanso.


Sobre Jamili e o Especialista em milagras

Trata-se de uma leitura intimista que tem o ser humano como principal objeto de estudo. Nesta obra o autor desfila seus personagens com tenacidade, persistência, sensualidade, astúcia; personagens que vivem em constante conflito existencial, social e sexual. A obra reúne uma série de histórias, através das quais refletem vivências em vários lugares, abordando temas como - família, sexo, dores e delícias de um convívio, a sabedoria do mistério, tradições sertanejas, a virtude da dúvida, morte, encontro e reencontro, amor e desamor, visões, o enigma do mal e o paradoxo das dores... Tudo isso, caro leitor, vibra, e canta e chora nas páginas que a seus olhos se abrem. O autor se sobrepuja quando parte da aparente lógica dos fatos, para chegar ao sombrio mundo do enigma. A linguagem não se prende ao coloquial nem ao artificial ou ao erudito. Vocábulos e ditos populares aparecem naturalmente em sua obra.


Antônio Campos e Eduardo Côrtes, curadores da FLIPORTO falam sobre as Festas Literárias no Brasil



Antônio Nunes, Antônio Campos e Eduardo Côrtes

Dia 24/10 às 17h, na Câmara Municipal, Palestra: A FLIPORTO E AS FESTAS LITERÁRIAS NO BRASIL, com Antônio Campos e Eduardo Côrtes, Curadores da Fliporto (PE) e ainda Antônio Nunes (PE) curador da FLIPORTO CRIANÇA

Para Antônio Campos, "a função principal de uma festa literária, que é rede cultural, é aproximar as pessoas", neste pensamento, traz para a quarta edição da FLIBO um diálogo sobre a importância dos festivais literárias na formação de leitores e no intercâmbio desses leitores com autores de vários continentes; e acrescenta, "a Fliporto vem sendo, há 9 anos, a menor distância entre os dois pontos, as vírgulas, as interjeições dos autores e leitores".
Na ocasião, será exibido um filme sobre a FLIPORTOAntônio Nunes (Tonton) falará sobre a Fliporto Criança e a Fliporto Nova Geração.

Especialista em Literatura de Cordel, Aderaldo Luciano estará na quarta edição da FLIBO




No dia 24/10 às 16h, na Câmara Municipal, Aderaldo Luciano profere a Palestra ROTAS DO CORDEL NO CARIRI e LANÇAMENTO LITERÁRIO DO LIVRO: "Do mar arriba as maravilhas da Paraíba" do Escritor e Compositor Orlando Otávio | Local: Câmara Municipal.

O tema central da palestra parte da premissa de que o cordel brasileiro vai muito além do verso, da rima, da métrica e da oração. Tem como base algumas provocações sobre o processo histórico do cordel brasileiro, entre elas: não existe literatura de cordel no Brasil; não existe poesia popular nem seu poeta; por que os poetas do cordel não aparecem em nenhuma história da literatura brasileira?; a poesia é como a foice da morte, fere a todos sem distinção.

Sobre Aderaldo Luciano:

Aderaldo Luciano é doutor e mestre em Ciência da Literatura, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, pesquisador do CNPq, poeta, escritor e músico trabalhando com os conceitos fundamentais da poética do nordeste brasileiro. Autor dos livros Apontamentos para a história do cordel brasileiro (Conhecimento Editora, 2011), O Auto de Zé Limeira (Confraria do Vento, 2008, poesia). Co-autor em Violência simbólica e estratégias de dominação: produção poética de autoria feminina em dois tempos (Editora da Palavra, 2010, ensaios) e Quem Conta um Conto – Estudos Sobre Contistas Brasileiras Estreantes Nos Anos 90 e 2000 (Tempo Brasileiro, 2009, ensaios) ambos organizados pela professora Dra. Helena Parente Cunha. Até 2008 foi um dos editores e colunistas da Revista Confraria on line.

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Professor da UEPB, Edson Tavares, falará sobre os elementos que definem o destino dos livros



Na quinta-feira (24/10), segundo dia de FLIBO, à partir das 15h na Câmara Municipal, receberemos o Professor Titular da Universidade Estadual da Paraíba, Edson Tavares que falará sobre: TEXTOS E LIVROS : O que determina o Cânone Literário?

Sobre a palestra:
Escritores escrevem textos, que são publicados em livros. O destino dos livros é definido por uma série de elementos e circunstâncias, entre as quais o escritor pode até nem estar presente, mas que funcionam como instâncias de manutenção da obra no panteão canônico literário nacional. Discutiremos quais são essas instâncias e sua força na construção e manutenção do cânone, bem como o que pode tornar tais obras esquecidas do grande público e ausente de estudos e leituras.

Sobre Edson Tavares:
O Prof. Edson Tavares Costa (50 anos) é natural de Santa Cruz do Capibaribe, filho da também professora Maria José Tavares Costa, daquela cidade. Graduado em Letras pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras – FAFICA, tem Especialização em Língua Portuguesa pela Faculdade de Filosofia de Patrocínio-MG, e em Metodologia do Ensino Superior pela FAFICA; é Mestre em Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE.Atualmente, Edson é professor titular de Literatura da Universidade Estadual da Paraíba, Campus I – Campina Grande, onde atua há cerca de 10 anos, fazendo parte, nessa Universidade, do Centro Paraibano de Estudos do Imaginário – CEPESI. Sua pesquisa de doutoramento foi realizada através do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal da Paraíba – UFPB, em João Pessoa, tendo como orientadora a Profª. Drª. Socorro de Fátima Pacífico Barbosa. Edson Tavares é autor dos livros “Nítido como um girassol” –Metamorfoses do olhar em Alberto Caeiro (2003) e Avaníssima – A vida de uma estrela (2007), além de organizador de duas coletâneas de artigos acadêmicos escritos por alunos da FAFICA, como frutos de Grupos de Estudo coordenados por ele: Leituras partilhadas – Estudos temáticos de autores brasileiros (2006) e Mulher, criação social? – Leituras e perfis femininos da Literatura Brasileiros (2008).

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

"Ciço de Luzia", obra de Efigênio Moura, será debatida na FLIBO




O escritor paraibano Efigênio Moura estará na quarta edição da FLIBO (Feira Literária de Boqueirão) falando sobre "Ciço de Luzia", obra literária que faz parte dos livros selecionados pela COMVEST para o Vestibular da Universidade Estadual da Paraíba (2014).

A Palestra acontece as 14h no dia 24/10 no Clube Municipal e é destinada não apenas aos vestibulandos mas ao público em geral.

Sobre a obra:
'Ciço de Luzia' conta a história da paixão de Ciço Romão, trabalhador da Fazenda Macaxeira, e Luzia, filha do patrão. A ficção se dá nos anos 70 e se ambienta no Cariri paraibano, especificamente em Monteiro, Zabelê e Camalau. Os 36 contos que compõe o livro colocam o leitor numa posição de onipresença, transitando entre observador e personagem.
Sobre o autor:
Filho de alagoano de Pindoba e pernambucana de Lajedo, Efigênio Moura é paraibano da de Monteiro, Cariri Paraibano. Neto de poeta e Radialista alagoano, herdou do avô a força das frases, feitas em momentos de observação e descontração. A verve que o acompanha desde cedo tem DNA incrustado entre Pindoba, Palmeira dos Índios e Viçosa em Alagoas e Monteiro e outras regiões do Cariri Paraibano, onde fez vasta pesquisa do que por ali ocorreu, tendo como referência fontes vivas com seus causos e paisagens naturais. Também publicou em 2009, "eita gota! (uma viagem paraibana)" e a mais recente obra, "Santana do Congo".

Presidente da Academia Paraibana de Letras, Damião Ramos Cavalcante, falará sobre o PRAZER DA LITERATURA




O Poeta e atual Presidente da Academia Paraibana de Letras, Damião Ramos Cavalcante, estará presente na quarta edição da FLIBO, no dia 24/10 (quinta-feira) a partir das 14h na Câmara Municipal, falando sobre O PRAZER DA LITERATURA 

Sobre Damião Ramos Cavalcante:

Damião Ramos Cavalcanti, nascido na cidade de Pilar - PB, terra do escritor e romancista José Lins do Rego. Passou parte da sua infância em Itabaiana, quando, com seus 11 anos, foi estudar na cidade de João Pessoa, onde reside até hoje. Em 1966, viajou à Itália, onde, em Roma, realizou seus estudos de graduação e pós-graduação em Filosofia; em Paris, posgraduou-se em Sociologia da Educação pela Sorbonne, de 1978 a 1983. Professor da Universidade Federal da Paraíba, desde 1973. Participou da criação da UEPB em Guarabira, da UNIPÊ e da FESP em João Pessoa. Hoje, dedica-se a escrever seus livros, como membro da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB; da Academia Paraibana de Cinema - APC; da Associação Paraibana de Imprensa - API e da Academia Paraibana de Filosofia - APF. É advogado, escritor, poeta, cronista e Presidente da Academia Paraibana de Letras - APL.

terça-feira, 8 de outubro de 2013

Escritor Jairo Cézar fala sobre a Literatura Infantil em sala de aula




No dia 25/10 (sexta-feira), às 15h, acontece na Câmara Municipal de Boqueirão a Palestra LITERATURA INFANTIL NA SALA DE AULA: entre o bicho-papão, o aluno e o direito de ler, com o escritor e professor Jairo César. Em sua fala, Jairo abordará as questões como o que significa ler, preconceitos com relação à literatura infantil, concepção de infância, conceito de literatura infantil, dicas de como escolher livros para crianças e incentivá-los a ler, tipos de leitores, contos de fadas e suas primeiras versões, entre outros aspectos da leitura na infância são debatidos nessa fala. A base teórica utilizada para tal é oriunda do livro LITERATURA INFANTIL: MÚLTIPLAS LINGUAGENS NA FORMAÇÃO DE LEITORES de José Nicola Gregorin. 

 Sobre Jairo Cézar: 

Jairo Cézar Soares de Souza nasceu em João Pessoa, em 21 de março de 1977, porém Radicou-se em Sapé desde os primeiros dias de vida. Filho de artista plástico, desde cedo teve contato com as artes. Formou-se em Letras na Universidade Federal da Paraíba em 2004 e exerce há mais de dez anos a profissão de professor de Inglês. Esteve à frente do Memorial Augusto dos Anjos na cidade de Sapé durante 4 anos e participa de atividades ligadas à cultura e na coordenação do festival anual de artes que homenageia Augusto dos Anjos. Livros publicados:Escritos no Ônibus foi vencedor no edital Novos Escritos(ano 2007/2008) realizado pela fundação cultural de João Pessoa, foi um dos vencedores do IV Prêmio Canon de Poesia, concurso Nacional que teve mais de 3 mil poetas inscritos de todo país, e, apenas 50 selecionados. Em 2012, publicou, pela Forma Editorial, Rapunzel e outros poemas da infância. Jairo é ainda membro fundador do CAIXA BAIXA, grupo de jovens escritores paraibanos.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Inscrições para oficinas e mini-cursos via internet até o dia 20 de outubro ou enquanto houver vagas




Para ter acesso aos formulários de inscrição basta clicar nos links abaixo e enviar seu formulário devidamente preenchido para flibopb@gmail.com:

http://www.4shared.com/office/esrFjdb3/FICHA_DE_INSCRIO_MINICURSO.html
http://www.4shared.com/office/xn0d7lQd/FICHA_DE_INSCRIO_OFICINA.html


Em debate, a formação de uma sociedade leitora


Aziel Lima, Cleide Soares, Jairo Cézar, Eva Maria de Melo

No dia 25/10, sexta-feira, a partir das 10h na Câmara Municipal, a Flibo debate "A FORMAÇÃO DE UMA SOCIEDADE LEITORA, DESAFIO DE TODOS".

Compondo a mesa, José Benedito de Brito (Coordenador do Projeto Leitura em Rede/PB); Cleide Soares (Coordenadora do Movimento Social Latino Americano Grito do Livro: Viva a Leitura); Jairo César (PILE - Projeto de Incentivo a Leitura), Aziel Lima (Assorac), Eva Maria de Melo (Secretaria de Educação de Boqueirão).

Em pauta, a contribuição para a preservação e para a produção literária e cultural de municípios e regiões à partir do acesso democrático à informação em diversos suportes, tomando como norte o Programa Nacional de Incentivo à Leitura (PROLER), à partir de reflexões sobre leitura e escrita, bibliotecas, livro e formação de leitores — caminhos políticos para o período 2011-2014, enfocando três parâmetros de sustentação para a consolidação de uma política de reconhecimento e valorização da leitura e da escrita no Brasil: oferta intensiva de bibliotecas escolares, públicas e comunitárias; formação continuada de agentes de leitura; e estímulo à formulação e homologação de planos estaduais, distrital e municipais do livro e da leitura, em seguimento ao Plano Nacional do Livro e da Leitura.


Ampliando o debate:

Estímulo à formulação e homologação de planos estaduais, distrital e municipais do livro e da leitura
Após a elaboração do Plano Nacional do Livro e da Leitura (PNLL), em unidades da federação e em municípios, iniciaram-se discussões locais e regionais para a implantação de planos em nível estadual, distrital e municipal. A compreensão de que esses planos podem ser importantes instrumentos na consolidação de um país de leitores leva o PROLER, por sua capilaridade, a propor ação que estimule a ampla participação social na formulação de planos do livro e da leitura em esferas de poder de todo o território nacional e sua homologação com o envolvimento de Conselhos Estaduais e Municipais de Educação e de Cultura.
Institucionalizar a política de livro, leitura e literatura nas instâncias cabíveis, que favoreçam o ordenamento jurídico de uma política de Estado, deve levar em conta a intensa mobilização social já existente pela ação historicizada do PROLER. Reconhecer a permanência e continuidade de um Programa como o PROLER, cuja ação no campo do livro e da leitura vem-se fazendo, especialmente, pela articulação com forças sociais, é admitir que um país leitor só se faz com o esforço público — o que envolve sociedade política e sociedade civil.
Por fim, cabe afirmar que a garantia, na forma da lei, de que parte dos recursos orçamentários destinados a Secretarias de Educação e de Cultura contemplam bibliotecas, já foi formalizada, faltando apenas que a cidadania brasileira e os poderes constituídos unam-se para o fortalecimento de ações de leitura e de escrita e para a criação de acesso e uso a novos espaços públicos e democráticos de leitura.

Fonte: DOCUMENTO FINAL do XV Encontro Nacional do 
Programa Nacional de Incentivo à Leitura – PROLER

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Como fazer uma criança gostar de ler?

Reprodução/Educar para Crescer



A partir de sete, oito anos, sabe-se que a criança mostra independência na escolha dos títulos que deseja ler, reconhecendo os autores e os ilustradores favoritos. "É um momento de grande importância no seu desenvolvimento como leitora e os pais precisam se esforçar em participar ativamente dele", diz Theodora Maria Mendes de Almeida, diretora do colégio Hugo Sarmento, de São Paulo.

Acontece que o tempo passa rápido e, à medida que a criança cresce, sente-se cada vez mais atraída por atividades que nada tem a ver com livros. Cabe perguntar: como fazer um(a) jovem se mostrar interessado(a) pela leitura a ponto de dedicar regularmente tempo para ela? Pais desejosos de estabelecer uma relação de fidelidade entre filhos e livros se atormentam com o problema, de difícil gestão. Ainda mais nos dias atuais, eles que tem os filhos estimulados ininterruptamente pela tecnologia a concentrar a atenção em outras atividades.

Apesar dessa concorrência acirrada, cabe aos pais encontrar uma solução - uma ideia é organizar o dia a dia desses jovens de modo a criar horários para tudo, inclusive ler. Os pais também precisam estar atentos ao fato de servirem de modelo, daí a importância de lerem regularmente no ambiente doméstico. Mais: ao escolherem um livro, eles devem compreender que estão trazendo à tona os valores que pretendem passar para os filhos. "Por isso, é essencial que leiam com atenção o que querem apresentar de modo a terem certeza sobre o conteúdo selecionado", sugere Theodora.

O prazer continua a ser prioritário, evitando que a leitura se transforme em algo mecânico, obrigatório, para os leitores desta faixa etária. "E a história não deve ser usada pelos pais para passar lição de moral, mas sim discutir ideias que julgam importantes com os filhos", destaca Theodora. 

Em debate, as políticas públicas de incentivo a leitura


Cybelle Macedo, Mabel Amorim, Marcos Paulo Rodrigues

No dia 24/10, quinta-feira, a partir das 10h no Clube Municipal, a Flibo debate "A IMPORTÂNCIA DA BIBLIOTECA NA FORMAÇÃO DE LEITORES, políticas públicas de incentivo a leitura". 

Compondo a mesa, Mabel Amorim (Diretora da Biblioteca Pública Municipal Félix Araújo, Campina Grande), Marcos Paulo (Presidente da Associação Profissional de Bibliotecário da Paraíba); Cybelle Macedo (Coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas da Paraíba).


Em pauta, a importância da biblioteca na garantia dos direitos culturais, o que diz a lei federal 12.224, que fala da obrigatoriedade de biblioteca nas escolas de todo o país e como fazê-las funcionar no dia-a-dia.

Ampliando o debate:
Na pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo Instituto Pró-Livro, 67% dos entrevistados declararam a existência de uma biblioteca pública no bairro ou na cidade em que moram e, entre esses, 71% a classificaram como de "fácil acesso", porém apenas 24% afirmaram frequentá-las e somente 12% costumam ler em bibliotecas. Uma possível explicação para essa "impopularidade" das bibliotecas está na representação desses espaços no imaginário da população. A maioria as associa a lugares para estudar (71%) ou pesquisar (61%). Poucos veem as bibliotecas como espaços de lazer (12%) ou para passar o tempo (10%). Um outro dado que chama a atenção é que 33% afirmaram que "nada" os faria frequentar uma biblioteca.
Fonte: Educar para crescer

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Seja VOLUNTÁRIO na quarta Flibo



Estão abertas as inscrições para quem deseja participar da Flibo como voluntário; para isto, basta ser maior de 18 anos ou estar cursando o ensino médio ou superior, dinâmico, gostar de arte e literatura. 

Junte-se a nós, estamos esperando por você!

As inscrições podem ser feitas na sede da ABES ou solicitando o formulário através do e-mail: flibopb@gmail.com.

Seja Voluntário, vista a nossa camisa ;)

Inscrições abertas




Já estão abertas as inscrições para as oficinas e mini-cursos da quarta edição da Flibo. As inscrições podem ser feitas na sede da Associação Boqueirãoense de Escritores (ABES), localizada na rua da Independência, sn - Centro Turístico, Boqueirão, PB ou ainda, solicitando o formulário de inscrição via e-mail: flibopb@gmail.com.

Então, o que está esperando?!

http://www.4shared.com/office/xn0d7lQd/FICHA_DE_INSCRIO_OFICINA.html
http://www.4shared.com/office/esrFjdb3/FICHA_DE_INSCRIO_MINICURSO.html


Recital "Amores de Vinicius" se apresenta na Flibo

SARAU: AMORES DE VINICIUS 
GRUPO FRENTE TROVADORAData: 25/10 - 21h
Local: Praça da ABES 

Sobre a apresentação:

No formato de sarau poético-musical, o espetáculo "Amores de Vinicius" navegará na obra de Vinicius de Moraes, tanto em suas poesias quanto em suas canções, ainda propiciará a plateia uma participação no evento de forma expressivamente ativa através de uma consagrada iniciação artística: o recital poético.

O grupo Frente Trovadora (Alagoa Grande, PB) - fruto dos desdobramentos do ativismo cultural do Coletivo AG - traz uma proposta que, além de ter forte enraizamento no Brasil adentro, provoca no público uma interação artístico-cultural imediata.

Escritor Sérgio de Castro Pinto na abertura da 4ª Flibo




A minha fala dos bichos,
Conferência de Abertura da Flibo,
com Sérgio de Castro Pinto
Data: 23/10/2013 às 19h - TENDA AUDITÓRIO NA PRAÇA DA ABES

Sérgio de Castro Pinto

O poeta, professor e jornalista Sérgio Castro Pinto nasceu em João Pessoa, na Paraíba, é formado em Direito e exerce a docência de Literatura Brasileira na Universidade Federal da Paraíba – UFPB. O seu doutoramento ocorreu abordando temática alusiva a Manuel Bandeira e Mário Quintana. E hoje ocupa a cadeira de número 39 na Academia Paraibana de Letras, cujo patrono é o escritor José Lins do Rego. Dentre suas obras estão: Gestos lúcidos, edições Sanhauá, 1967; A ilha na ostra, edições Sanhauá, 1970; Domicílio em trânsito, Civilização Brasileira, 1983; O cerco da memória, UFPB, 1993; A quatro mãos, 1996 (poesias, com ilustração de Flávio Tavares); Longe daqui, aqui mesmo(tese de doutorado – Mário Quintana); e Os paralelos insólitos, discurso de posse na APL.Como poeta já participou de antologias poéticas publicadas em Portugal e Espanha.

Sobre a Palestra:

Reflexões sobre a literatura infanto-juvenil, estabelecendo uma espécie de cotejo entre a criança e o poeta.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...